Quase quatro anos após sair de operação, hoje o berço público três do Porto de Itajaí será inaugurado e poderá voltar a operar. A solenidade acontecerá às 10h da manhã com a presença do secretário de Fomento e Parcerias do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Dino Antunes Dias Batista, que irá representar o ministro.
“A segunda-feira será emblemática para o porto de Itajaí, pois a partir desta data o porto recuperará três vezes mais de sua capacidade operacional. De um berço que tivemos operando em quase uma década para três berços, certamente Itajaí volta a mudar sua história para um novo e grande ciclo de crescimento”, comemorou o superintendente do porto, Marcelo Salles.
Embora o berço seja entregue agora, ele só estará apto a receber navios a partir da primeira semana de janeiro. Já está definido que a APM Terminais e o Teporti serão os operadores do cais. “Eles ou qualquer outro operador portuário que esteja pré-qualificado segundo as regras do regulamento do porto poderá realizar as operações”, afirma o chefão do porto.
“Com a entrada em operação do berço três e a continuidade das obras do berço quatro, teremos mais oportunidades de aumentar o portfólio de serviços oferecidos por Itajaí”, diz Ricardo Arten, superintendente da APM. E completa: “Além disso, temos a retomada das atividades também no berço um, que passou por breves obras de reforço [pela APM], dispondo de mais uma área nobre para a atracação de navios”.
O porto de Itajaí busca novas operadoras para o cais e, embora dê preferência para movimentação de contêiner, não descarta a operação de carga a granel.

Desde 2014
Em 20 de fevereiro de 2014 uma ordem de serviço foi assinada para dar continuidade às obras do berço três, que esteve em operação até julho de 2014. O Ministério dos Portos e a secretaria Nacional de Portos investiram R$ 120 milhões para as obras de reforço e realinhamento dos berços três e quatro.
Em julho deste ano, o governo federal assinou a Ordem de Serviço no valor de R$ 18,8 milhões para mais uma etapa das obras de ambos os berços.
O berço três tem 210 metros de comprimento. Enquanto o berço três é entregue, as obras do berço quatro seguem. A descoberta de lajes submersas, que são os restos dos antigos berços 3 e 4 que caíram no rio nas enchentes de 1983 e 1984, atrasaram as obras.
Sem condições de serem removidos, os blocos, que estão a mais de 20 metros de profundidade, tiveram que ser perfurados. Os obstáculos exigiram estudos técnicos. A previsão é que o último berço seja concluído até maio de 2018, conforme o cronograma oficial.

Fonte: Diarinho

Tags :